As Emoções, os Sentimentos e a Saúde Mental

Por Cláudia Carvalho

Falar de saúde mental é falar de emoções e sentimentos.

E qual a diferença entre Emoções e Sentimentos?

As emoções são sensações corporais que nos invadem, sinalizam algo bom, prazeroso, ruim e também nos advertem sobre um perigo e mostram como nos sentimos ou como reagimos a determinadas situações. Por isso devem ser aceitas e tratadas como necessidades básicas que devem ser ouvidas e respeitadas. O que está errado não é sentir as emoções e expressá-las, mas a pessoa não se sentir autorizada a sentir estes conteúdos.

A palavra emoção vem do latim “emovere”, onde “e” significa “fora” e “movere” significa “movimento”.

Sentir amor, alegria, raiva, ansiedade, vergonha ou desapontamento são expressões de uma emoção que aflora.

O sentimento é a maneira que interpretamos nossa emoção.

Expressar as emoções e saber receber e aceitar os sentimentos é muito importante para aprender a lidar com os mesmos.

Algumas pessoas podem pensar em não expressar suas emoções e sentimentos por achar que são ruins ou por receio de não serem respeitadas e validadas socialmente.

Infelizmente não temos uma cultura de valorização dos afetos. Inclusive as emoções e os sentimentos sempre foram colocados em um plano de não expressão e até de não aceitação.

A razão sempre foi mais valorizada socialmente e a expressão das emoções eram tidas como excessos e falta de controle. Sabemos que não existe hierarquia entre pensamentos e emoções. Ambos são importantes em nossas vidas.

O que você pensa sobre expressar seus sentimentos e falar sobre eles com as pessoas?

Resultado de imagem para emotions and feelings

Muitos podem pensar que isso é ruim, que é sinal de fraqueza ou falta de controle falar e colocar-se diante do outro para expressar como está se sentindo sobre determinado evento ou situação. Às vezes não aprendemos a falar sobre como nos sentimos e temos dificuldades em relatar isto ou somos censurados ou não apoiados em sua expressão.

Falar sobre seus sentimentos é muito importante porque mostra como você vivencia sua subjetividade (a visão própria de cada pessoa que deriva das próprias experiências de vida, das suas crenças e valores). Observar e tentar compreender essas emoções e sentimentos que acontecem em seu corpo e sua mente são muito importantes para você saber como lidar com estes.

Existem um conjunto de emoções e sentimentos que são observáveis praticamente desde o nascimento, e que parecem estar ligadas às necessidades instintivas de sobrevivência: o medo, a raiva e a alegria. Outros sentimentos como o amor, a tristeza, o desprezo, a vergonha, a culpa e a surpresa são aprendidos.

A expressão das emoções também é algo que aprendemos, ou seja, respondemos às emoções da maneira que nossa cultura nos ensinou. Por isso é muito comum ouvirmos: “homem não chora; você não precisa chorar por isso ou mulher chora muito”.

No luto a expressão de sentimentos também é diferente em diversas culturas: Enquanto algumas culturas manifestam a tristeza de forma contida, outras são mais expressivas para este sentimento.

Como as emoções e os sentimentos influenciam em sua Saúde Mental?

As emoções nos ajudam a avaliar as situações e servem de critério de valoração positiva ou negativa.

Os afetos (emoções ou sentimentos) têm uma função importante na motivação e aprendizagem.

Você já observou que nos dedicamos com prazer aos assuntos que gostamos e com dificuldade aos que não temos interesse?

Você aceita e expressa seus sentimentos negativos (raiva, tristeza, frustração, desapontamento, etc) ou acha difícil lidar com estes?

Se você tomar consciência de seus sentimentos e aceitá-los como parte da sua personalidade no momento (os sentimentos não duram para sempre) poderá lidar com eles de um modo mais adaptativo.

O importante é ter em mente que não devemos confundir sentimentos com comportamento (a maneira que agimos).

Se você não aceitar e tentar entender seus sentimentos eles não desaparecerão como mágica, mas ficarão em suspenso até o momento de serem exteriorizados. Poderão se manifestar através de sintomas e até doenças psicossomáticas (dores de cabeça, urticárias, problemas de estômago, diarreias, entre outros).

Seus sentimentos podem afetar o que você faz de várias maneiras: Você pode desistir e parar de fazer coisas, evitar situações que podem ser difíceis, ficar relutante em tentar coisas novas.

Por exemplo, se você se sentir triste ou infeliz em algum local que frequenta (Um curso, escola ou grupo etc) e pode parar de ir; se sentir raiva quando alguém critica seu trabalho, pode deixar de se esforçar.

Exemplos de estratégias não adaptativas para lidar com as emoções incluem uso abusivo de álcool e automutilação. As estratégias adaptativas podem incluir exercícios de relaxamento, distração temporária durante as crises, exercício físico, conectar emoções a valores maiores, substituir uma emoção por outra mais agradável ou apreciada, atenção plena (mindfulness), aceitação, atividades prazerosas etc.

Podemos constatar aqui que as emoções são muito importantes para a saúde mental.

Se as emoções e sentimentos tiverem prejudicando a sua vida busque ajuda um psicólogo para compreender e aprender a lidar com estes afetos.

Não tenha medo de expressar seus sentimentos.

Fale e escute as pessoas.

Validar os sentimentos das pessoas é aceitar que elas podem ter vários sentimentos (inclusive ao mesmo tempo) e que é um direito delas falar sobre estes.

Quem cuida das emoções cuida da vida!

Comentários

Related posts:

Gostou deste post? Compartilhe!