A MEDITAÇÃO E SUAS ORIGENS

A palavra meditação vem do latim meditare, que significa “voltar-se para o centro no sentido de desligar-se do mundo exterior” e “voltar a atenção para dentro de si”.
Em sânscrito, é chamada dhyana e é obtida pelas técnicas de dharana (concentração).Em páli, é jhana que ignifica “concentrar intensamente o espírito em algo”.
A Meditação data de aproximadamente 2.000 a.C, onde podemos encontrar registros das suas práticas nos primórdios do Yoga. Desde então, temos a presença de mestres que demonstraram através de suas próprias vidas que a “Liberdade” e a “Felicidade” podem ser adquiridas através da disciplina e do controle de si.
Existem muitas escolas, teorias e tradições relacionadas a Meditação; porém, todas enfocam o controle sobre si, através do corpo e da mente. Todas enfatizam; cada uma em sua linguagem e metodologia, a importância da cessação ou do controle dos processos da mente pensante.
Dentre as escolas mais significativas, para a evolução dos estudos em torno da Meditação, temos o Budismo e o Jainismo.

Ambos defendem o ascetismo e a prática de diversas técnicas de Meditação ou ” controle da mente” como o caminho para a liberação (moksa, nirvãna) da Roda dos Renascimentos Condicionados (samsãra), aos quais as consciências individuais estão presas.

O Budismo é o mais popular entre as escolas e tradições da meditação.
Buda não era um místico. A sua busca não era pela divindade; e sim, por encontrar um caminho para a libertação do sofrimento inerente à condição humana.
Seu despertar não foi uma intuição devastadora da verdade transcedente que lhe revelou os mistérios de Deus, foi uma busca, foi um caminho seguido com muita entrega, privação de bens materiais e até da alimentação.
Após um período de muito extremismo Buda começa o caminho para a moderação, afastado dos extremismos da autoindulgência e da automortificação.
Sidarta Gautama (o Buda) compreendeu as causas do sofrimento humano  e os caminhos necessários para eliminá-lo. Este ensinamento ele  nos trás nos falando sobre  o “Despertar” através  das  4 Verdades Enobrecedoras.
Buda nos mostra que o Despertar é algo que está ao alcance de todos. Mas não é algo que possamos alcançar somente através do aprendizado teórico; e sim, através da experimentação, da vivência e do cultivo da disciplina e do controle sobre si.
Não se satisfaçam com ouvir dizer, ou com a tradição, 
ou com o conhecimento das lendas, ou com o que nos dizem as 
escrituras, conjeturas ou inferências lógicas, ou em pesar as evidências,
ou com a predileção por um ponto de vista depois de ter ponderado sobre
ele, ou com a habilidade de alguma outra pessoa, ou em pensar: ‘O monge
é nosso mestre’. Quando souberem por si próprios: ‘Tais coisas são sadias,
irrepreensíveis, recomendadas pelos sábios, e adotá-las e colocá-las em prática
conduzem ao bem-estar e à felicidade’, então vocês deveriam praticá-las e
nelas repousar…”
O Buda
Kalama Sutta

 Fontes:http://pt.wikipedia.org/wiki/Meditacao
Comentários

Related posts:

Gostou deste post? Compartilhe!