Tudo bem se não estiver tudo bem

Por Rodolfo Sampaio

Quando foi a última vez que você foi sincero ao responder a pergunta: Tudo bem com você?

Talvez isso não seja um problema, mas saiba que para milhares de pessoas, assumir que há algo de errado na sua vida é inaceitável.

Vivemos em uma sociedade onde a felicidade é super valorizada e estar fora desse modelo feliz é algo ruim.

Nossas referências vêm da maior fonte de entretenimento atual, as redes sociais, em que amigos, familiares e personalidades da mídia divulgam apenas momentos alegres e divertidos, em viagens incríveis, restaurantes caríssimos, praticando esportes que você nem sabia que existiam ou simplesmente demonstrando o quanto estão felizes e satisfeitos.

E de repente, você que está naquele momento difícil, acha que tem a pior vida do mundo e que há algo de errado consigo, quando se depara com pessoas extremamente de bem com a vida.

É importante salientar que não há problema algum expor coisas boas do seu dia a dia, mas sem perceber acabamos criando uma atmosfera onde a vida é norteada por situações agradáveis e o sofrimento não tem espaço ou boa aceitação.

A ideia também não é ficar expondo seus problemas no facebook ou no instagram, mas talvez equilibrarmos nossa necessidade de mostrar apenas coisas boas que nos acontecem. E lembrar que nossas vidas são feitas de altos e baixos, mesmo não estando tudo exposto nas redes sociais.

O sofrimento não tem cara e diversas vezes está muito bem escondido. Não acredite em tudo que vê, muitas pessoas estão sofrendo tanto ou mais que você, mas sentem essa necessidade de mostrarem que estão felizes.

Em 2017 as redes sociais foram palco de várias demonstrações dessa dificuldade que estamos falando. Pessoas (inclusive famosos) realizaram publicações expressando extrema alegria pouco antes de cometerem suicídio.

Um dos maiores impactos que isso tem gerado são pessoas infelizes que preferem esconder seus problemas e dificuldades, que acham suas vidas erradas e sem sentido, decidindo então sofrerem sozinhas.

Talvez o problema que você esteja passando até possa ser resolvido sozinho, mas muita questões emocionais e até mesmo psiquiátricas precisam de acompanhamento psicológico e médico para que apresentem melhora.

E como saber se eu preciso de ajuda profissional se eu não tenho coragem de falar para ninguém dos meus problemas?

Como entender melhor o que se passa comigo se tenho vergonha de expor meus problemas?

Na dúvida, divida suas angústias com aqueles que te passam mais confiança, mais afeto e provavelmente suas questões podem ser mais facilmente resolvidas.

Minimamente, falar para o outro te fará ouvir a si mesmo contando seu problema e talvez refletir de outras maneiras sobre a questão que está te angustiando. E claro, você pode sempre contar com o profissionalismo e discrição de um profissional da saúde.

Lembre-se que tudo bem se não estiver tudo bem. Aceitar que nossa vida não é perfeita pode nos ajudar a enxergar o que precisa ser melhorado ou a quem devemos pedir ajuda.

Comentários

Related posts:

Gostou deste post? Compartilhe!