Você tem medo de quê?

Por Cláudia Carvalho

Sentir medo e (ou) ansiedade é uma reação emocional tão comum como respirar, comer e dormir. Quando você se depara com um desconhecido numa rua deserta à noite isto pode parecer ameaçador. Da mesma maneira quando se prepara para fazer uma prova ou um exame de saúde é muito comum ficar com medo e ansioso (a).

Medo e ansiedade são nossos velhos conhecidos e fazem parte de nossas vidas. Estes sentimentos nos protegem: O medo o alerta sobre um perigo que está prestes a acontecer e a ansiedade pode motivá-lo a fazer algo (preparar-se melhor para apresentar um trabalho, uma entrevista de emprego etc).

O medo é uma resposta automática a um objeto ou situação específicos em que você percebe um perigo real ou potencial. A ansiedade é um estado emocional mais prolongado que pode ser provocada por um medo.

Medo e ansiedade são necessários em sua vida, mas se forem excessivos podem prejudicar.

Muitas pessoas vivenciam batalhas, diariamente, para enfrentar o medo e a ansiedade que as aflige. Muitas ficam paralisadas e impossibilitadas de fazer várias coisas. Em função disso, fogem de certas situações ou as evitam.

Se você tem medo de cobra qualquer estímulo que sugira a presença deste animal poderá provocar medo (fotografia, imagem de cobra na TV, um texto sobre cobra etc). Também poderá sentir-se ansioso por que planejou uma viagem e pensa que poderá encontrar cobra em determinado local (hotel localizado numa região com floresta; cidade com muita vegetação e clima muito quente). Aqui o medo básico é de cobra, mas você vive em um estado constante de ansiedade de que no futuro possa ficar exposto a cobra.

Podemos observar que a ansiedade é uma experiência que dura mais que o medo e envolve apreensão e excitação física e diz respeito ao futuro (E se eu não conseguir terminar o trabalho? E se eu me deparar com uma cobra no banheiro do hotel? Geralmente envolve o padrão E se….de perguntas.

Você já percebeu que o medo está no centro de toda ansiedade? Procure observar qual o medo que está por trás de sua ansiedade.

Para ilustrar, um exemplo seria uma pessoa que sofre de ansiedade intensa quando pensa em participar de uma reunião de trabalho. O medo subjacente à ansiedade é o constrangimento (E se fizerem uma pergunta que eu não saiba responder? E se me der um branco?).

Um outro exemplo seria de uma pessoa que pensa que pode perder o controle. Ela se preocupa, excessivamente, com várias coisas em sua vida: perder o emprego, a escola dos filhos, o conserto do carro, a visita da sogra etc. Ela dorme mal, pois acorda na madrugada e fica pensando em todos os problemas e não consegue encontrar uma saída. Sente palpitações, falta de ar, taquicardia e tonteira e pensa que vai perder o controle e que algo ruim acontecerá.

Você também já se sentiu assim em algum momento de sua vida?

A preocupação excessiva pode levar a um aumento da ansiedade que pode gerar sintomas fisiológicos (taquicardia, falta de ar, tremores etc) e cognitivos (Vou perder o controle; Vou morrer) a quem a vivencia.

Quando seus problemas estão prejudicando seu estado de ânimo e causando sensações fisiológicas, pensamentos que não consegue lidar e sentimentos como medo e ansiedade, persistentes e intensos, este é o momento de buscar ajuda de um Psicólogo. Você vai aprender sobre seus sentimentos, pensamentos e as respostas que utiliza para lidar com estes. Irá aprender a usar estratégias psicológicas comprovadas para lidar com a ansiedade e medo e entender que o objetivo da terapia não é acabar com estes sentimentos, mas ensinar você a enfrentá-los (o que levará a uma redução dos mesmos).

A Organização Mundial da Saúde (WHO, 2017) publicou um relatório sobre depressão e outros transtornos mentais comuns. O Brasil figurou como líder em ansiedade no mundo: mais de 18 milhões de brasileiros sofrem com transtorno de ansiedade (9,3% da população). Este percentual foi maior que a média mundial (3,6%).

Precisamos falar mais sobre este assunto e ajudar as pessoas a buscar informações e tratamento quando a ansiedade causar problemas e sofrimento. O objetivo deste artigo é mostrar a você como podemos fazer do medo e da ansiedade nossos aliados e buscar ajuda profissional quando não conseguimos sozinhos.

Podemos aprender a usar várias estratégias como respirar profundamente e relaxar através de várias maneiras. Aprender a lidar com esses sentimentos é importante para deixá-los em níveis mais baixos de intensidade.

Você poderá praticar atividade física, meditação, mindfulness, yoga ou outra atividade que lhe dê prazer e auxilie na redução da ansiedade. O primeiro passo é entender que a ansiedade e o medo não são inimigos e que buscar informação e aprender sobre seus mecanismos é importante para conviver de forma positiva com estes sentimentos, sem deixar que se tornem um problema em sua vida. Com ajuda profissional e conhecimento sobre o assunto podemos transformá-los.

O Medo e a Ansiedade podem ser nossos aliados!

Referências:

Clark, David A; Beck, Aaron T. Vencendo a Ansiedade e a Preocupação com a Terapia Cognitivo-Comportamental. Porto alegre: Artmed, 2012.

Leahy, Robert L. Livre de Ansiedade. Porto alegre: Artmed, 2011.

World Health Organization. Depression and Other Common Mental Disorders:Global Health Estimates. Geneva, WHO, 2017.Disponível em: <http://www.who.int/mental_health/management/depression/prevalence_global_health_estimates/en/>. Acesso em: 02 outubro 2017.

Comentários

Related posts:

Gostou deste post? Compartilhe!